Publicado por Redação em Gestão de Saúde | 05/08/2021 às 15:39:51

Como 8 empresas atuaram na pandemia para preservar o bem-estar e a saúde mental de seus colaboradores



Ao longo de mais de um ano de pandemia, isolamento social e muitas incertezas envolvendo trabalho, saúde e finanças, ele foi um dos mais prejudicados: o bem-estar. Segundo uma pesquisa encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros notaram uma piora nesse quesito nos últimos 12 meses.

A questão, no entanto, não se limita aos debates sobre saúde mental. Um levantamento da “Harvard Business Review” mostrou que funcionários infelizes produzem até 18% menos quando comparado aos demais. A métrica da felicidade envolve, ainda, uma série de outros fatores: funcionários engajados têm 98% mais chances de se identificarem com as metas e valores da empresa, segundo um levantamento da GloboForce, especializada em gerenciamento de capital humano. Já um estudo do iOpener Institute mostra que profissionais motivados são capazes de produzir duas vezes mais, tirar dez vezes menos licenças e aumentar em cinco vezes o tempo de permanência na mesma organização.

Seja qual for o motivo, o fato é que, desde que a crise sanitária começou, empresas e colaboradores passaram a olhar de outra maneira para a saúde mental e o bem-estar. E os contratantes reagiram. De acordo com um levantamento realizado pela Kenoby, desenvolvedora de softwares de recrutamento, 37,7% das companhias já adotam benefícios voltados para melhorar esses dois aspectos da vida de seus colaboradores, enquanto 38,7% ainda não contam com a iniciativa, mas garantem estar estudando a possibilidade.

Veja abaixo, outras medidas que oito empresas brasileiras colocaram em prática para estimular o bem-estar e preservar a saúde mental dos colaboradores:

Nestlé

O #MenteEmFoco é um movimento que convida as empresas brasileiras a reconhecerem a importância da saúde mental no ambiente de trabalho por meio de benefícios para seus colaboradores. Criado pela Rede Brasil do Pacto Global em parceria com a Sociedade Brasileira de Psicologia, a iniciativa estabelece alguns compromissos para a organização, incluindo a promoção de incentivo à saúde mental e campanhas de estímulo a práticas culturais, esportivas, educacionais e nutritivas, entre outras. Na Nestlé, uma das adeptas do movimento, os profissionais têm direito a um profissional especializado para aconselhamento e orientação de crises, assim como o treinamento dos líderes para a conquista de boas condutas. Já entre as práticas adotadas com a chegada da pandemia estão a adoção do home office, o estabelecimento de horários flexíveis para determinadas funções e novas rotinas de trabalho. Por fim, a gigante de alimentos oferece acompanhamento individualizado para os profissionais, incluindo uma rede de apoio permanente formada por médicos, enfermeiros, nutricionistas e psicólogos.

Maple Bear

As ações em prol do bem-estar dos colaboradores na rede de educação bilíngue Maple Bear se estendem para as sedes do Brasil, Canadá, Colômbia, México e Peru. Além da adoção total do trabalho remoto, a empresa investiu no último ano em uma parceria com a startup YouFeel, uma healthtech de soluções de saúde mental. Com isso, as equipes passaram a se beneficiar de programas preventivos contra a ansiedade, depressão e casos de burnout, todos feitos por meio de tecnologias de diagnósticos precisos. Outra ação menos convencional implementada pela empresa foi um desafio – as equipes da capital paulista devem fazer o mascote da marca, mais conhecido como Chinook, ir de São Paulo rumo a Toronto a pé. No total serão 8,3 mil quilômetros que devem ser percorridos em 60 dias pela equipe toda. Diariamente, cada quilômetro percorrido é lançado no aplicativo da rede, incentivando a meta colaborativa.

Concentrix

Pensando no bem-estar de seus colaboradores, a Concentrix, multinacional de soluções de customer experience e tecnologia, está ampliando um de seus programas de wellness, o Toc Toc. Nele, alguns funcionários são escolhidos de maneira aleatória para conversar descontraidamente com o departamento de recursos humanos. O objetivo é compensar a falta do bate-papo no cafezinho e manter o contato pessoal entre as equipes. Já em relação aos líderes, a empresa promove um treinamento de gestores voltado para saúde mental, a fim de oferecer um espaço aberto para troca entre colaboradores que precisam de ajuda. Nesse momento de interação, os gestores identificam se há algum problema e agem de acordo com o caso, muitas vezes indicando para o funcionário um tratamento com psicólogos e psiquiatras. Por último, a companhia promoveu, em fevereiro, um pet day, dia em que os colaboradores puderam levar seus cachorros ao escritório para deixar o dia mais descontraído e reduzir a tensão.

Danone

A multinacional de alimentos Danone investe cerca de R$ 1,8 milhão por ano em serviços de saúde para os colaboradores. De acordo com a marca, os benefícios incluem um centro de apoio de saúde mental – com apoio psicológico, orientação financeira e jurídica -, acesso a consultas e atendimentos de telemedicina, plano de academia com extensão aos dependentes, ginástica laboral e outras modalidades para cuidado postural. Além disso, a empresa firmou uma parceria com a Medipreço, startup que oferece medicamentos, produtos e soluções em saúde a um preço mais acessível. Com isso, os funcionários das fábricas e escritórios passaram a contar com descontos de até 65% em itens destas categorias, além de participarem de um ciclo de incentivo à prevenção e diagnóstico precoce.

Trinus Co.

A Trinus Co., landtech do mercado imobiliário, optou por reduzir os índices de estresse e ansiedade dos seus mais de 400 colaboradores por meio do incentivo às atividades físicas. Isso porque a prática é capaz de estimular a produção de substâncias como a endorfina e a serotonina, proporcionando bem-estar e melhorando o humor. Assim, a empresa passou a oferecer um espaço para atividades físicas de alta intensidade em suas instalações, com a orientação de profissionais da área. No início da iniciativa, a empresa criou um período de testes, com duração de quatro finais de semana, nos quais turmas de até 20 funcionários poderiam se inscrever para uma aula experimental. Com o sucesso da adesão, agora as equipes podem treinar no início ou no final do expediente, assim como no horário de almoço.

Bumble

Durante e mesmo após o fim da pandemia, os colaboradores da Bumble, proprietária do famoso aplicativo de relacionamento, não precisarão voltar ao regime presencial de trabalho de forma definitiva. Com sedes nos Estados Unidos, Reino Unido, Espanha e Rússia, além de times remotos em cidades-chave, inclusive no Brasil, a empresa transformará os escritórios em espaços colaborativos onde as equipes podem escolher quando se encontrar. Além disso, a companhia adicionou dois feriados extras ao calendário corporativo, assim como determinou que a terceira semana de junho deste ano fosse comemorada com uma folga coletiva em sinal de agradecimento aos esforços dos funcionários desde o último ano. Outro ponto ajustado foi a duração das licenças remuneradas. Agora, os colaboradores que tiverem filhos, por exemplo, contarão com afastamentos mínimos de seis meses e, ao retornarem, terão direito a um período de transição com horário flexível por, no mínimo, quatro semanas. Da mesma forma, qualquer colaborador da equipe que for vítima de violência doméstica ou outros crimes violentos terão direito a uma licença de, no mínimo, 20 dias. E, em situações como morte na família ou aborto, a pessoa terá direito a pelo menos 15 dias de licença.

Vulcabras

A Vulcabras, gestora de marcas esportivas como Mizuno, Olympikus e Under Armor, assinou uma parceria com a Gympass, plataforma de bem-estar voltada ao meio corporativo, que beneficiará 15 mil funcionários e familiares. Com a novidade, os colaboradores e seus dependentes terão acesso a modalidades presenciais e online de serviços como academias, sessões com personal trainers, meditação, mindfulness, yoga, educação nutricional, terapias individuais e até saúde financeira.

Porto Seguro

A seguradora iniciou seu cuidado com o bem-estar dos colaboradores ainda nos primeiros três meses da pandemia ao aderir ao movimento #NãoDemita. A iniciativa vetou qualquer dispensa durante o período especificado para promover a segurança financeira de todos os funcionários do grupo. Para manter a saúde mental do time, a empresa ofereceu também participações em projetos como corridas de rua, aulas de dança, pilates, muay thai, violão e gaita, bem como mensalidades de academia, acupuntura e ingressos para festivais gastronômicos. Durante esses quase 20 meses de pandemia, 8.000 colaboradores também puderam trabalhar em regime remoto, contando com o suporte da “Alô Saúde”, uma equipe de profissionais disponíveis 24 horas para dúvidas caso o profissional sentisse algum dos sintomas da Covid-19. As medidas complementam outros benefícios que a companhia já oferecia aos funcionários, como vale-alimentação, refeição, seguro de vida, vale-transporte, auxílio creche ou babá, plano de saúde, plano odontológico, previdência privada, cartão farmácia e bolsa de estudos.



Fonte: Forbes


Tags: sem tags no momento!


Deixe seu Comentário:

=