Publicado por Redação em Dental | 08/10/2015 às 11:40:06


Saúde bucal na terceira idade: especialista dá dicas de higienização


Especialista alerta: processo inflamatório na estrutura dentária pode desencadear processos infecciosos sistêmicos no corpo humano

Odontogeriatra e gerontólogo informa que a saliva é a maior protetora dos dentes

Conforme o Relatório Mundial de Saúde e Envelhecimento, divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui um número cada vez maior de idosos. A porcentagem atual de 12,5% de idosos quase triplicará, alcançando os 30% até o ano de 2050. Segundo a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), hoje o número de idosos chega a 23,5 milhões. Com a chegada da terceira idade, eles estão mais propensos a desenvolverem algumas doenças bucais como a xerostomia (boca seca), lesões da mucosa bucal, doenças periodontais, cáries de raiz, problemas nas próteses e câncer bucal.

Diante da importância da manutenção da saúde bucal para esta faixa populacional, o programa Amazônia Brasileira conversou com o odontogeriatra e gerontólogo Alexandre Franco Miranda.

Ele explica que a saliva é a maior protetora dos dentes. Ele afirma que se há a diminuição do fluxo salivar, existe uma diminuição na proteção dentária e consequentemente, problemas como a cárie de raiz, problemas de adaptação das próteses causando lesões bucais, dentre outros problemas. A quantidade de medicamentos que o idoso ingere, associado a outros fatores como a diminuição do fluxo salivar próprio do idoso, a deficiência de higienização e a falta de ações preventivas, além de profissionais capacitados para atender a essa população idosa, ajudam ao desenvolvimento de problemas bucais.

“A população necessita ter um conhecimento, há a necessidade dos profissionais estimularem, há a necessidade de ter uma integração, uma interdisciplinaridade, entre os profissionais da saúde, família e paciente, em prol da saúde bucal”, comenta.

O odontogeriatra faz um alerta: "o dente é um órgão, ele está interligado com inervação e suporte sanguíneo, então qualquer processo inflamatório e infeccioso que o paciente idoso tenha na estrutura dentária pode desencadear processos infecciosos sistêmicos, como a endocardite bacteriana, problemas pulmonares, problemas nas articulações, problemas cerebrais, como o AVC, dentre outros”. Sendo assim, conclui que há uma relação direta da odontologia, com a saúde geral do idoso.

De acordo com Alexandre Miranda, existem alguns sinais que podem ser observados pelo idoso para detectar problemas bucais como o sangramento espontâneo na gengiva, lesões, língua esbranquiçada, próteses fraturadas, dentes com manchas escuras, dentre outros.

O gerontólogo dá dicas dos cuidados de higienização que podem ser feitos em casa: “Para pacientes que usam próteses, elas devem ser higienizadas diariamente, após as refeições, com escova dura e sabão neutro, e posteriormente, a utilização da pasta de dente". Além disso recomenda que os idosos não devem dormir com a prótese, para que haja um descanso da musculatura, e se evite ações fúngicas e lesões bucais. "É importante que o idoso faça uma higienização da língua, com escova de dente, com água corrente e sem a pasta de dente, no sentido posteiror-anterior. Pacientes com dentes, devem fazer a higienização com a ação mecânica. A escovação deve ser feita com pasta de dente e escova de dente, e se recomendado pelo cirurgião-dentista, antisséptico bucal”, conclui.

Ele ainda explica alguns dos procedimentos para a resolução dos problemas bucais mais comuns:

- Xerostomia (Boca seca): deve ser analisada a farmacologia, os medicamentos que estão sendo tomados pelo idoso, e se necessário uma adaptação na dosagem. A utilização de salivas artificiais e a hidratação constante do idoso com água;

- Gengivite (inflamação da gengiva): é solucionada com ação mecânica e higienização, ou seja, escovação com pasta de dente e fio dental. Caso esteja com tártaro, é necessário que vá em um odontologista para a retirada do mesmo, e consequentemente, a diminuição do acúmulo de sujeira que podem causar a gengivite.

Segundo o dentista, o Brasil é considerado um país de desdentados, devido ao passado de uma odontologia multiladora. É possível que os idosos do futuro não passem mais pelos problemas de próteses que os idosos de hoje em dia estão passando.

O Amazônia Brasileira conversou com o Odontogeriatra e Gerontólogo, Alexandre Franco Miranda, que falou sobre os problemas e os cuidados que os idosos devem ter com a saúde bucal. Ouça a entrevista na íntegra.

Apresentação de Sula Sevillis e Produção de Taiana Borges.

 

Fonte: Rádio EBC


Tags: sem tags no momento!


Deixe seu Comentário:

=