Publicado por Redação em Gestão do RH

A transformação digital e o RH



Até 2021, a tecnologia de automação robótica vai substituir quase 4,3 milhões de empregos no mundo nas tarefas mais repetitivas e rotineiras, de acordo com a Forrester, empresa de pesquisa de mercado.  No Brasil, os passos são mais lentos. Atualmente, há 10 robôs para cada 10.000 trabalhadores, segundo a Federação Internacional de Robótica. A média global é 74. 

Fato é que a tecnologia chegou para ficar e, ao contrário do que vem sendo dito, projeções da consultoria Gartner apontam que, em 2020, a inteligência artificial criará mais vagas do que as extinguirá: serão gerados cerca de 2,3 milhões de empregos, enquanto 1,8 será eliminado. 

E quem atua com gestão de pessoas deve se preparar para navegar nesse novo mundo. “O RH precisa entender as implicações da transformação digital, mas ter em mente que não se trata só de tecnologia, as mudanças dependem fundamentalmente da transformação das pessoas no trabalho”, diz João Lins, diretor executivo da Fundação Getulio Vargas. 

Só que as empresas não estão preparadas. Uma pesquisa HRtech Kenoby mostra que para 52% dos profissionais de RH do país, a companhia em que trabalham é pouco tecnológica. Mesmo assim, para começar a mudar a mentalidade, é hora de se aprofundar em algumas tecnologias. Conheça as principais a seguir. 

Inteligência artificial 

Agiliza o trabalho dos recrutadores, tornando-o mais rápido e inteligente, e auxiliando a processar dados e currículos.
 

Analytics e big data

Dizem que os dados são o novo petróleo e não é por acaso. Ao analisar as informações produzidas pelos funcionários no dia a dia de trabalho – como as metas atingidas, os treinamentos feitos, o uso do plano de saúde e as métricas da pesquisa de clima – a organização entende quais são os pontos que necessitam de atenção e consegue criar práticas específicas para cada profissional. 

Geolocalização

A disseminação do trabalho remoto durante a pandemia do coronavírus ampliou a necessidade do uso da geolocalização pelas empresas. 

Essa tecnologia é especialmente importante para criar um método de registro de ponto virtual, para funcionários que não estão presencialmente no escritório – realidade de 46% das empresas brasileiras durante o isolamento social, segundo a Fundação Instituto de Administração (FIA) 

Vídeo conferências 

O uso de vídeo conferências estourou neste ano. Um levantamento da empresa App Annie mostra que aplicativos de comunicação à distância tiveram crescimento de 90% em março de 2020, em comparação com o ano anterior.

Essenciais no trabalho remoto, as ferramentas ajudam o RH nas análises de perfil e comportamento de candidatos, no treinamento de funcionários e na condução de reuniões. 



Fonte: VOCÊ S/A


Posts relacionados


Deixe seu Comentário:

=