Publicado por Redação em Gestão de Saúde | 01/10/2019 às 11:34:56


Novo exame de sangue poderá substituir biópsias desnecessárias para câncer de próstata




Um novo exame de sangue pode ajudar muitas pessoas com suspeita de câncer de próstata a evitar biópsias desnecessárias. Combinar o novo teste com os resultados do antígeno prostático específico (PSA) pode fornecer um diagnóstico de câncer de próstata agressivo com mais de 90% de precisão, de acordo com um estudo do Journal of Urology.

Esse nível de precisão é maior do que o de qualquer outro biomarcador para câncer de próstata, diz o autor do estudo, Dr. Yong-Jie Lu, professor de oncologia molecular no Instituto Barts Cancer da Universidade Queen Mary de Londres, no Reino Unido.

“Esta descoberta pode levar a uma mudança de paradigma na maneira como diagnosticamos o câncer de próstata”, acrescenta ele. As células tumorais circulantes são células cancerígenas que deixaram o tumor original e entraram na corrente sanguínea. Uma vez que as células cancerígenas estão na corrente sanguínea, elas podem se espalhar para outras partes do corpo.

Teste de PSA insuficiente para diagnosticar câncer

O PSA é uma proteína que a próstata produz. Se houver câncer na próstata, a glândula libera mais PSA no sangue. Portanto, níveis elevados de PSA no sangue podem ser um sinal de câncer de próstata.

No entanto, outras condições da próstata, como inflamação ou aumento não canceroso da glândula, também podem aumentar os níveis de PSA. Assim, para confirmar a presença de câncer, o indivíduo é submetido a uma biópsia, um procedimento desconfortável e invasivo em que o cirurgião remove partes da próstata e as envia para análise tecidual.

Uma biópsia da próstata não é apenas invasiva, mas também arriscada, com uma grande chance de sangramento e infecção. Além disso, os resultados da biópsia da maioria dos homens com níveis elevados de PSA mostram que eles não têm câncer. Há ainda a possibilidade de falhas, indicando um “falso positivo”.

Mesmo quando as biópsias da próstata revelam a presença de câncer, na maioria dos casos, o tumor não é agressivo e não será fatal se os médicos o deixarem sem tratamento.

O uso de peptóides cíclicos para atingir células tumorais difíceis de alcançar é promissor como um tratamento futuro para o câncer de próstata.

 Necessidade de um teste melhor que PSA e biópsia

O método atual de diagnóstico do câncer de próstata, combinando o teste PSA com uma biópsia, leva a muitas biópsias inúteis, com tratamentos desnecessários.Esse método pode causar danos aos indivíduos e desperdiçar tempo e recursos preciosos no sistema de saúde. Custos elevados são uma dos principais desafios da saúde hoje em dia. “Existe claramente a necessidade de uma melhor seleção de pacientes para se submeter ao procedimento de biópsia”, recomenda o professor Lu.

Para o estudo, os pesquisadores realizaram este tipo de exame de sangue novo em 98 homens que ainda não haviam feito uma biópsia e 155 outros que haviam acabado de receber um diagnóstico de câncer de próstata, mas ainda não foram submetidos a tratamento. Todos os participantes estavam no Hospital St. Bartholomew’s, em Londres.

Os pesquisadores observaram que a presença de células tumorais circulantes nas amostras de sangue pré-biópsia era preditiva de câncer de próstata agressivo detectado pelas biópsias subsequentes.

Além disso, a partir do nível de células tumorais circulantes, a equipe pôde avaliar a agressividade do câncer. Quando combinado com o teste PSA, o teste de células tumorais circulantes foi capaz de prever com precisão de 90%, que homens receberiam um diagnóstico agressivo de câncer de próstata a partir dos resultados das biópsias.

 Validação dos testes

Novos estudos – usando resultados de vários centros independentes – agora devem confirmar esses achados, apostam os pesquisadores.

A equipe espera que o teste esteja disponível, após aprovação regulatória, em torno de 3 a 5 anos após os pesquisadores concluírem os estudos de validação.

Cerca de 1 em cada 9 homens terão câncer de próstata durante a vida, de acordo com a American Cancer Society (ACS). A ACS estima que mais de 174 mil homens descobrirão que têm câncer de próstata e 31.620 morrerão nos Estados Unidos em 2019.

Embora seja uma doença grave, a maioria dos homens que tem câncer de próstata não vem a óbito. Atualmente, existem mais de 3,1 milhões de homens nos EUA que receberam um diagnóstico de câncer de próstata, mas continuam vivos após intervenções para controlar a condição.

Com informações do Medical News Today. Edição do Setor Saúde.


Fonte: Setor Saúde


Tags: sem tags no momento!


Deixe seu Comentário:

=