Publicado por Redação em Gestão do RH

Robert Half divulga as principais tendências em remuneração em 2022



Depois de mais de dois anos de impacto da pandemia de Covid-19, as tendências de modelo de trabalho se aceleraram e as necessidades dos funcionários e de seus empregadores mudaram. Acompanhando essas transformações, a consultoria Robert Half atualiza as principais tendências do Guia Salarial 2022. “É importante que as companhias ajam com um olhar estratégico do ponto de vista de atração e retenção de talentos”, diz Fernando Mantovani, diretor-geral da Robert Half para a América do Sul. 

A 14ª edição do guia traz a tabela salarial e as perspectivas do mercado de trabalho para mais de 300 cargos em diversas áreas, como finanças e contabilidade, seguros, recursos humanos, engenharia, vendas e marketing, tecnologia e jurídico. Confira as tendências.

Retenção de talentos
As prioridades de muitos funcionários mudaram na pandemia, e 89% dos recrutadores se preocupam com a retenção dos talentos nesse cenário. Enquanto os profissionais buscam mais qualidade de vida, flexibilidade e salários e benefícios competitivos, os recrutadores não acreditam que suas empresas estejam oferecendo essas vantagens. Além disso, 31% deles observam uma abordagem agressiva da concorrência. “É importante que as empresas invistam em políticas claras de trabalho, transparência das relações entre profissionais e lideranças, além de um bom pacote de benefícios e remuneração, condizente com o mercado.”

O equilíbrio entre vida pessoal e profissional virou uma grande preocupação tanto para empregados quanto para empregadores. Mesmo assim, 49% dos líderes das empresas acreditam que seus colaboradores estão mais propensos a sofrer de burnout em 2022. “Muito do que as pessoas têm buscado no mercado de trabalho são empresas humanizadas. Quando o colaborador se sente valorizado e respeitado, a tendência é que ele retribua com engajamento e lealdade.”

Companhias vêm investindo em tornar o ambiente de trabalho mais saudável com flexibilização de horários, melhor comunicação e benefícios associados à saúde e ao bem-estar dos funcionários. 

Transformação digital
A retenção de talentos foi considerada o principal desafio de 2022 para 48% dos CFOs e 53% dos CIOs entrevistados pela Robert Half, com a transformação digital impulsionada pela pandemia e o crescimento do volume de processos de fusões e aquisições movimentando as áreas de TI, finanças e contabilidade. 

O aumento do turnover foi sentido por 54% dos diretores de TI entrevistados. Os profissionais desse setor buscam desafios, empresas atrativas e que invistam em tecnologia, trabalho remoto, benefícios flexíveis, bônus e plano de carreira estruturado.

Os diretores financeiros valorizam profissionais com inglês fluente, facilidade de comunicação e alto conhecimento técnico e de mercado, e se mantêm confiantes com o futuro do setor, apesar dos desafios. 

Atração de talentos
Os executivos C-Level em geral também demonstram perspectivas mais positivas em relação a este ano do que em 2021. A maioria (52%) pretende preencher posições abertas este ano, 44% planejam abrir novas vagas de trabalho e apenas 4% devem congelar as contratações. A estratégia de contratar profissionais por projeto a fim de aliviar eventuais sobrecargas das equipes também é citada pelo diretor como uma tendência para este ano. 

Para atrair talentos, os recrutadores indicam:
 

  • Oportunidades de desenvolvimento na empresa;
  • Possibilidade de trabalho híbrido ou remoto;
  • Aumento dos salários de entrada;
  • Possibilidade de mudança de cargo ou crescimento na empresa.
     

 

Fonte: Forbes



Posts relacionados


Deixe seu Comentário:

=